Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável
  • Ativos Ambientais
    Projetos e estudos para o desenvolvimento sustentável por meio do uso consciente dos recursos naturais.
  • Agricultura Sustentável
    Projetos e interface entre diferentes atores para a criação de uma agricultura confiável e sustentável.
  • Sustentabilidade Urbana
    Projetos que buscam equacionar a sustentabilidade dos grandes centros urbanos no médio e longo prazos.

Ativos Ambientais

Desenvolvemos projetos em Recursos Hídricos, Florestas, Biodiversidade, Pegada Hídrica, Pegada de Carbono, Disponibilidade Qualitativa e Quantitativa de Recursos e Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Organizamos workshops técnicos e estudos especiais sobre os temas.


Ativos Ambientais

Mudanças Climáticas Globais e seus Impactos nos Ecossistemas Brasileiros

Cliente: Ministério do Meio Ambiente

O Projeto
O objetivo geral do estudo é executar um projeto de longo prazo que determine, por aproximações sucessivas, os impactos das Mudanças Climáticas Globais (MCG) sobre os ecossistemas brasileiros resultando na identificação: (1) das tendência de alterações na distribuição dos biomas terrestres; (2) das tendência de alterações internas nos ecossistemas terrestres; (3) dos efeitos da elevação do nível do mar e do aquecimento do oceano sobre os ecossistemas naturais e antrópicos litorâneo/costeiros. O projeto se beneficia da constituição de uma rede de pesquisadores de diversas disciplinas, que através de uma abordagem multidisciplinar irá apontar as tendências de modificação dos ecossistemas brasileiros, sobretudo área de distribuição e alterações internas, em resposta aos cenários futuros de mudanças climáticas globais.

Proposta/Objetivo
Os principais tópicos que constam do projeto são:

  • Estabelecimento de banco de dados observacional sobre o clima no país nos últimos 100 anos: consiste na compilação de fontes de dados climáticos com séries históricas longas (com mais de 50 anos) para todo o Brasil e disponibilização desta informação de forma a torná-la de fácil acesso; na recuperação de todos os dados climáticos em áreas de interesse do país também com séries longas; e no controle de qualidade e consistência dos dados antes de pre-processados, para tornarem-se confiáveis em análises de detecção de tendências.
  • Estabelecimento de um banco de dados com cenários de mudanças climáticas globais: trata-se da implantação de um portal idêntico ao Data Distribution Center do IPCC - Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, que originalmente se encontra na Universidade de East Anglia (Inglaterra). O portal contém resultados de cenários de emissões de gases de efeito estufa e de mudanças climáticas provenientes de integrações numéricas longas (1870 a 2100, no mínimo). Estas informações servem como base para o estudo dos impactos nos ecossistemas e serão organizadas em bancos de dados para permitir uma busca simples e eficiente.
  • Estudo prospectivo de impactos das Mudanças Climáticas Globais nos ecossistemas brasileiros: estudo analítico de possíveis impactos das Mudanças Climáticas Globais nos ecossistemas brasileiros a partir da avaliação qualitativa de estresses, vulnerabilidades e pontos críticos. A idéia é estudar a probabilidade de mudanças climáticas gerarem impactos negativos que resultem em acelerada perda de biodiversidade. Os ecossistemas costeiros terão um estudo em especial com a avaliação dos impactos causados pela elevação do nível do mar em 10 áreas pilotos. Serão analisados os reflexos negativos das mudanças climáticas sobre a biodiversidade e as atividades sócio-econômicas (incluindo urbanização e turismo) sobre estes ecossistemas.
  • Reuniões técnicas sobre a variabilidade climática e distribuição geográfica por ecossistemas: workshops com especialistas de cada ecossistema para avaliação dos cenários elaborados.
  • Elaboração de mapas de impactos, estresses e vulnerabilidades dos ecossistemas brasileiros: serão elaborados mapas nas escalas 1: 1 000 000 contendo três planos superpostos - vegetação do IBGE/IBAMA, cenários climáticos futuros de acordo com as emissões de gases de efeito estufa e estresses, vulnerabilidades e áreas críticas. Para cada uma das 10 áreas piloto de ecossistemas costeiros serão produzidos mapas na escala 1: 10 000.
  • Realização de um seminário geral sobre variabilidade climática e distribuição geográfica dos ecossistemas: reunião do grupo multidisciplinar de especialistas participantes do estudo para apresentação dos resultados finais e indicações de ações futuras.

Histórico
De acordo com dados do ano de 2001 do IPCC - Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, os cenários das emissões de gases de efeito estufa para os próximos 100 anos indicam a possibilidade de impactos climáticos significativos sobre os ecossistemas do todo o mundo e do Brasil. No contexto "business as usual" de crescimento das emissões, os modelos climáticos indicam que poderá ocorrer aquecimento de 4° a 6° C em algumas partes do país, inclusive na Amazônia, até o final deste século.

Os impactos das mudanças climáticas nas espécies e nos ecossistemas atingem, principalmente, a conservação da biodiversidade. As alterações climáticas do passado são conhecidas por corresponderem a grandes mudanças na composição das espécies em uma comunidade ou em episódios de mega extinção de fauna e flora. Com as mudanças climáticas aceleradas pelas atividades antrópicas, estratégias de conservação devem ser desenvolvidas para responder às esperadas mudanças na distribuição, fisiologia e ecologia das espécies.

Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável
Rua Engenheiro Álvaro Niemeyer, 76
CEP 22610-180
Rio de Janeiro - RJ - Brasil
Tel. +55 (21) 3322-4520
Fax +55 (21) 3322-5903
fbds@fbds.org.br

webTexto é um sistema online da Calepino